"Ensine o aluno a observar"

William Osler

segunda-feira, 14 de março de 2011

Introdução e objetivos

Introdução
A disciplina de Semiologia II continuará a abordagem e o aprendizado da Semiologia (do grego σημειολογία (semeîon: sinal + logos: tratado, estudo) e trata do desenvolvimento da habilidade de obter a anamnese e o exame físico do paciente atendido.

Objetivos de Aprendizado
Os alunos do 6º. período do curso de Medicina da UFOP, ao concluir o semestre deverão ser capazes de:

Domínios cognitivos
1.      Identificar queixas clínicas relacionadas ao sistema nefro urológicas
2.      Reconhecer as correlações dos achados semiológicos com as síndromes clínicas (ITU; prostatite; nefrolitíase; insuficiência renal, distúrbios da micção)
3.      Identificar queixas clínicas relacionadas ao sistema hemolinfopoiético
4.      Reconhecer as correlações dos achados semiológicos com as síndromes clínicas (linfadenopatias; discrasias sanguíneas; trombofilias; anemias)
5.      Identificar queixas clínicas relacionadas ao sistema endócrino
6.      Reconhecer as correlações dos achados semiológicos com as síndromes clínicas (tireopatias; distúrbios da homeostase glicêmica; disfunções adrenais; dislipidemias; distúrbio do metabolismo do cálcio; hipovitaminoses; distúrbios do ADH; distúrbios hipofisários)
7.      Identificar queixas clínicas relacionadas aos distúrbios hidroeletrolíticos e ácido-basicos
8.      Reconhecer as correlações dos achados semiológicos com as síndromes clínicas (hipo e hiperosmolaridade, hiponatremia, hipernatremia, hipocalemia)
9.      Identificar queixas clínicas relacionadas ao sistema imunológico
10.  Reconhecer as correlações dos achados semiológicos com as síndromes clínicas (atopia; urticária; anafilaxia; imunodeficiências)
11.  Identificar queixas clínicas relacionadas ao sistema neurológico
12.  (Reconhecer as correlações dos achados semiológicos com as síndromes clínicas neuropatias autonômicas e periféricas; lesão do neurônio motor inferior; superior; encefalopatias; meningites)
13.  Identificar queixas clínicas relacionadas ao aparelho locomotor
14.  Reconhecer as correlações dos achados semiológicos com as síndromes clínicas (artrites, osteoartrose, espondiloartropatias, etc. )
15.  Rever aspectos semiológicos do aparelho cardiovascular, respiratório e gastrintestinal
Domínios psicomotores:
1.      Ser capaz de detectar ao exame físico do sistema nefro urológico: edema, dor renal; sopros arteriais, ascite
2.      Ser capaz de detectar ao exame físico do sistema hemolinfoipoiético: alterações em linfonodos; hepatoesplenomegalia, alteração de mucosas
3.      Ser capaz de detectar ao exame físico do sistema endócrino: alterações no exame da tireóide; alterações cutâneas, de mucosas e fâneros de distúrbios endócrinos; testes para detecção clínica de hipocalcemia;
4.      Ser capaz de detectar ao exame físico do aparelho locomotor (alterações de simetria, sinais flogísticos, deformidades articulares, dor e limitação )
5.      Ser capaz de detectar ao exame físico do sistema neurológico: paresias, parestesias, alterações do equilíbrio e da marcha, alterações dos pares cranianos, disautonomias, sinais meníngeos, alterações da força e do tônus muscular, reflexos: patelar, aquileu, bicipital, tricipital; sinal de Babinski 
6.      Ser capaz de trabalhar em grupos focais e em grupos operativos
7.      Ser capaz de desenvolver um registro em prontuário de maneira clara, sucinta, objetiva e capaz de levar à continuidade do cuidado pelo estudante e outros profissionais . (prontuário orientado ao problema)
Domínios psicoafetivos:
  1. Reconhecer a importância de avaliar globalmente o paciente
  2. Conhecer e perceber o território e suas redes sociais
  3. Reconhecer o valor dos fatores ambientais e sociais na gênese e manutenção dos distúrbios
  4. Reconhecer o papel educativo do médico nas ações preventivas e assistenciais das doenças
  5. Reconhecer e lidar com a transferência (e a contratransferência)
  6. Relacionar-se com a equipe de trabalho à qual pertence
  7. Perceber o paciente no contexto de sua família e seu grupo social
  8. Identificar risco e vulnerabilidade
  9. Aprimorar a comunicação médico-paciente como componente essencial da competência clínica;
  10. Compreender o papel das habilidades de comunicação no contexto da consulta médica;
  11. Conhecer e aplicar as habilidades básicas de comunicação médico-paciente na abertura da consulta, na coleta de dados, na explicação e no fechamento da consulta)
  12. Estruturar a ananmese dentro de um modelo de abordagem biopsicossocial






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário